Lançamentos

Uma História de Três Cidades - Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e Exportação de Produtos de Seda nas Dinastias Ming e Qing

Com base em textos ilustrados em chinês, português e inglês, o presente catálogo apresenta uma ampla variedade de imagens e textos para introduzir a prosperidade do comércio marítimo da Grande Baía Guangdong–Hong Kong–Macau, tanto nas dinastias Ming e Qing como na actualidade. De facto, enquanto um centro importante na Rota Marítima da Seda, a Grande Baía tem desempenhado, desde sempre, um papel vital para o comércio marítimo entre a China e o resto do mundo, sendo também um ponto de encontro em que se intersectam as civilizações Oriental e Ocidental. Durante as dinastias Ming e Qing, graças à abertura das rotas marítimas para Este e Oeste, a seda foi exportada para todo o mundo como mercadoria principal, através da actual Grande Baía, sendo assim este negócio uma testemunha da glória da indústria de artesanato e do processo de integração global do comércio em Guangdong, Hong Kong e Macau. As técnicas de bordado em seda foram herdadas até ao presente e estão ainda a ser desenvolvidas, além de terem contribuído, com efeitos positivos, para a formação e o enriquecimento das conotações culturais da Grande Baía, assim como para o impulsionamento do seu poder suave cultural. Dividido em quatro secções temáticas, nomeadamente, “A Grande Baía”, “Exportação da Seda”, “O Mundo em Mudança” e “A Grande Baía Actual”, o catálogo Uma História de Três Cidades: Grande Baía Guangdong–Hong Kong–Macau e Exportação de Produtos de Seda nas Dinastias Ming e Qing visa evocar, por meio da apresentação de mapas, pinturas, documentos, porcelana, tecidos de seda, vestuário, mobiliário e moedas, entre outros, a prosperidade do comércio da seda entre a China e o mundo estrangeiro, durante as dinastias Ming e Qing.

Impressões da Cidade - Mapas do Acervo do Arquivo de Macau

As plantas, projectos e mapas de abastecimento de água, hidrográficos e topográficos, todos incluídos no livro “Impressões da Cidade - Mapas do Acervo do Arquivo de Macau”, mostram-nos, de forma concreta, o processo de modernização da cidade de Macau desde os anos 1880 até à década de 1980.

Visões Multiprismáticas Recíprocas - Exposição Internacional de Arte Contemporânea por Convite

Visões Multiprismáticas Recíprocas - Exposição Internacional de Arte Contemporânea por Convite é co-organizada pelo Museu de Arte de Macau (MAM) sob os auspícios do Instituto Cultural e da Escola de Arte Intermedia (SIMA) da Academia de Arte da China. Um total de 32 artistas/grupos do Interior da China e das regiões de Taiwan, Hong Kong e Macau, bem como de outros países como Japão, Coreia do Sul, Alemanha, França e Itália, foram convidados a participar na exposição. Este catálogo contém todas as pinturas, fotografias, instalações e trabalhos da realidade virtual e aumentada e outras criações interdisciplinares exibidas, com descrições das obras e currículos dos artistas.

Quintessência da Porcelana dos Fornos Imperiais da Dinastia Ming da Colecção do Museu do Palácio

Desde os tempos antigos até ao presente, a porcelana é um dos artigos diários mais comuns na vida do povo, sendo também o principal utensílio da corte imperial em dinastias passadas. Durante a Dinastia Ming (1368–1644), a corte empregava diversos artigos de cerâmica como objectos decorativos, rituais de sacrifício, práticas religiosas e para prestar homenagem a nível interno e externo. Por isso, a porcelana dos fornos imperiais também é um dos símbolos que evidenciam a autoridade absoluta do imperador. O catálogo de capa dura da Quintessência da Porcelana dos Fornos Imperiais da Dinastia Ming da Colecção do Museu do Palácio contém imagens de todos os itens exibidos na exposição, assim como os dados de pesquisa de cada uma das peças e uma tese de investigação sobre a porcelana dos fornos imperiais da Dinastia Ming, redigida por especialista do Museu do Palácio. O catálogo inclui uma selecção de 120 peças (conjuntos) representativas dos fornos imperiais produzidos nos períodos de regência dos imperadores Hongwu a Wanli (1368–1620), classificadas segundo o seu período de produção.