menuE
 
Programme
News
Programme Reviews
Video
Gallery
Search
E-Mail

XXIII FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA DE MACAU
De 9 de Outubro a 8 de Novembro de 2009

Date : 7/21/2009

O Instituto Cultural do Governo da R.A.E. de Macau promove o XXIII Festival Internacional de Música de Macau (FIMM), de 9 de Outubro a 8 de Novembro de 2009.

O Festival Internacional de Música de Macau (FIMM) tem como objectivo trazer a Macau artistas e grupos de renome internacional, representando indubitavelmente o ponto alto da actividade musical na cidade, procurando promover um leque equilibrado de eventos que reflictam a diversidade e a especificidade de Macau, que enriqueçam a vida cultural e que ao mesmo tempo vão de encontro às necessidades e expectativas da população. O vasto e rico programa concebido para o Festival, que vai da ópera à música sinfónica, música coral, música de câmara, música contemporânea, música folk, pop, música de fusão e jazz, proporcionado por um leque impressionante de artistas e agrupamentos, procura oferecer um encontro dinâmico entre Oriente e Ocidente.

Mais artistas internacionais viajam até à RAEM para compor o programa diverso do XXIII FIMM. Vinte e uma propostas provenientes do Reino Unido, Alemanha, Áustria, Itália, República Checa, Polónia, Portugal, EUA, Argentina, Venezuela, Singapura e Austrália, para além do Interior da China, vão colorir os palcos de Macau de sons antigos e experimentais.

Este ano, o XXIII FIMM inaugura com um concerto pela Orquestra de Macau, comemorativo do 60º Aniversário da República Popular da China e do 10º Aniversário da Transferência da Administração de Macau, intitulado Butterfly Lovers (9/10, Centro Cultural de Macau - Grande Auditório, 20:00). O célebre pianista chinês Shi Shucheng é solista no histórico Concerto para Piano “O Rio Amarelo”, em cujo arranjo participou, enquanto a eminente violinista Yu Lina, que estreou o Concerto para Violino “Butterfly Lovers” há cinquenta anos, vem a Macau apresentar esta obra mais uma vez, desta feita sob a batuta do eminente maestro chinês Chen Xieyang, ex-Director Musical da Orquestra Sinfónica de Xangai. A Orquestra Chinesa de Macau associa-se a esta dupla  comemoração com o concerto A Era do Dragão (10/10, CCM-GA, 20:00), dando vida a algumas das mais notáveis obras de compositores chineses como Zhao Jiping, Liu Tianhua, Gu Guanren, e Quan Jiaho, incluindo à nova composição de Kuan Nai Chung A Era do Dragão, encomendada pela Orquestra Chinesa de Macau.

O programa sinfónico rico do Festival prossegue com a Academia de Música Antiga, uma das grandes orquestras mundiais e um nome muito conhecido através do globo (11/10, CCM-GA, 20:00). A AMA especializa-se em tocar em instrumentos de época – instrumentos que foram construídos ou que eram usados no período histórico em que as próprias obras foram compostas. Sob a direcção visionária de Christopher Hogwood, estabeleceu-se como uma autoridade na forma como a música era executada originalmente. No dia 22 de Outubro (CCM-GA, 20:00), é a vez da Orquestra Sinfónica de Sydney, a principal orquestra australiana, liderada pelo eminente pianista e maestro Vladimir Ashkenazy, que assumiu o cargo de seu Maestro Principal e Conselheiro Artístico em Janeiro de 2009. Ashkenazy deliciará o público de Macau com um programa verdadeiramente ecléctico e emocionante, que inclui as enigmáticas Variações Enigma de Elgar! Apenas dois dias depois, a Orquestra Sinfónica da Rádio Alemã (DRP), sob a direcção do seu Maestro Principal, Christopher Poppen, encerra o programa sinfónico do FIMM (24/10, CCM-GA, 20:00). Constituída em Setembro de 2007, esta orquestra pretende dar continuidade às tradições de duas instituições consagradas - a Rundfunk-Sinfonieorchester Saarbrücken e a Rundfunkorchester Kaiserslautern. Com 114 músicos, é uma das maiores orquestras da rede pública de rádio alemã, possuindo um repertório muito diverso e oferecendo programas invulgares.

A Europa dá nas vistas no Teatro Dom Pedro V, celebrando a tradição clássica da música de câmara com um quinteto, um quarteto e um duo. O muito elogiado Quarteto Szymanowsky (12/10, Teatro Dom Pedro V, 20:00) tornou-se um quarteto de cordas verdadeiramente carismático e um dos mais notáveis da sua geração. Muitos prémios em concursos de renome confirmaram a qualidade extraordinariamente elevada do quarteto. Num invulgar recital de guitarra e violoncelo (13/10, Teatro Dom Pedro V, 20:00), a não menos sensacional guitarrista clássica chinesa Xuefei Yang associa-se à dotada violoncelista britânica Natalie Clein, que se tornou uma das  mais bem sucedidas executantes a ser nomeada “BBC Musician of the Year” (1994). Tendo estabelecido carreiras internacionais de grande sucesso que as levaram a tocar em todo o mundo, estas talentosas instrumentistas propõem um evocativo e tentador programa. No dia 31 de Outubro (Teatro Dom Pedro V, 20:00) o Quarteto T’ang de Singapura e o pianista John Chen encontram-se para oferecer ao público um programa ecléctico. O membros do Quarteto T’ang, formado em 1992, formaram-se individualmente em Londres e Moscovo, tendo obtido numerosos prémios e o aplauso da crítica e do público internacional. John Chen é um dos principais músicos da Nova Zelândia, e em 2004, com apensas 18 anos de idade, tornou-se o mais jovem vencedor do Concurso internacional de Piano de Sydney. 

Este ano o Festival apresenta também música de fusão. O grupo americano Flexible Music e o agrupamento de jazz contemporâneo Ensemble “Link Together”, radicado em Berlim, actuam no dia 20 de Outubro (Teatro Dom Pedro V, 20:00). Com uma instrumentação que cruza a linha entre o jazz, o rock e a música clássica, Flexible Music é composto por quatro dos mais activos jovens executantes de música nova de Nova Iorque e seus respectivos instrumentos. Desde 2003, o grupo encomendou cerca de 30 novas obras. O Ensemble “Link Together” trabalha na síntese de ritmos não-europeus, música tradicional chinesa, e sons e estruturas contemporâneos com influências do jazz e improvisação livre. O grupo português Buraka Som Sistema, por sua vez, fundiu os ritmos frenéticos do Kuduro angolano com a música electrónica do século XXI, criando um som totalmente novo (30/10, Fortaleza do Monte, 20:00). Pegando nas influências da música da sua juventude e na sua cultura, os músicos que compõem os Buraka fundiram-na com a inspiração tirada de géneros musicais tão diversos como o techno, o drum‘n’bass, o hip hop e a música de dança. A este fresco electro-ghettotech acrescentaram outro ponto de influência geográfica às pistas de dança por onde passavam, contaminando meio mundo com uma África nunca antes ouvida! Também de Portugal, a banda pop-rock Delfins (26/10, Fortaleza do Monte, 20:00) permanece popular em Portugal e no seio das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo. Em Julho de 2008, os Delfins anunciam o fim da sua carreira como banda e planeiam abandonar os palco em 2009, ao completarem 25 anos de carreira. Serão sempre recordados com uma grande banda portuguesa de pop-rock, por terem tido um grande impacto social no passado e se posicionarem como agrupamento de referência para as gerações futuras e pela sua forma particular de sentir o presente.  

A música do mundo é um must do Festival e este ano o género está representado pelo agrupamento venezuelano Marco Granados e Un Mundo Ensemble e pelo Quinteto Novo Tango de Pablo Ziegler da Argentina (5/11, Fortaleza do Monte, 20:00). Marco Granados formou um conjunto de músicos notáveis e virtuosos com o objectivo de divulgar a agitação, paixão e energia da música da Venezuela e da América Latina. Por outro lado, o casamento entre o jazz e o tango era virtualmente desconhecido há 30 anos, até o pianista Pablo Ziegler, pianista de Astor Piazzola, e o seu Quinteto Novo Tango surgirem no panorama musical, combinando homogeneamente os ritmos ardentes do tango com a espontaneidade enérgica do jazz.

No que se refere ao jazz, o festival apresenta o som único da Harlem Blues and Jazz Band (1/11, Fortaleza do Monte, 20:00), a banda mais autêntica de swing do mundo, que inclui músicos veteranos de jazz e blues (com idades entre os 64 e os 93 anos!) cujas raízes remontam ao período clássico dos anos 20 e 30. Estes “originais” são os artistas que criaram um novo género musical para a América. Também dos EUA, DJ Paul D. Miller aka DJ Spooky, um escritor, artista e músico premiado que vive e trabalha em Nova Iorque, e o violoncelista e compositor de electro-jazz Dana Leong, apresentam o concerto Nova Iorque Vista e Ouvida no dia 28 de Outubro (Fortaleza do Monte, 20:00). Milk & Jade by Dana Leong combina hip-hop, jazz e electrónica para criar o seu próprio som. A fusão pioneira que Dana Leong operou da música electrónica e das sensualidades do jazz etéreo como executante, compositor, colaborador e produtor, recebeu o aplauso da crítica e conquistou o público em todo o mundo. 

O programa do FIMM não estaria completo sem o concerto de música popular chinesa (3/11, Fortaleza do Monte, 20:00). O Grupo de Percussão An Zhishun, o primeiro grupo de percussão profissional privado no país, foi fundado por An Zhishun, o famoso mestre de percussão chinês conhecido amplamente como “o Rei dos Tambores”. O grupo é pioneiro na integração das artes da percussão oriental e ocidental. A segunda parte do concerto é preenchida com o Orfeão Juvenil da Mongólia Interior, um agrupamento de renome tanto no país como no estrangeiro pelas suas actuações a capella em estilo mongol.

Como sempre, quem não ouve os aplausos sem partilhar com convidados é a Orquestra Chinesa de Macau. Este ano a honrada é a célebre “Rainha do Hi-fi” chinesa, a cantora Lily Chen, que desfila pelo tapete vermelho musical do Festival (16-18 Outubro, CCM-GA, 20:00). Lily tem sido amplamente aclamada pela comunidade musical assim como pelo público pela sua voz fresca, doce e suave, assim como pelo seu estilo puro e honesto. É um feitiço que voltará a lançar sobre todos os apreciadores de Cantopop em Macau.

Os seis talentosos homens de Chicago que se intitulam “Hudson Chad” (Teatro Dom Pedro V, 20:00) produzem-se à imagem do grupo alemão The Comedian Harmonists, formado em 1927, um dos agrupamentos musicais europeus a capella mais famosos do período de antes da II GG. Para além do repertório original dos The Comedian Harmonists, Hudson Shad criaram a sua própria imagem, apresentando também canções americanas dos anos 20, sucessos dos anos 30, 40, 50 e 60 e outras.

Muito mais vozes vão soar no FIMM. No dia 23 de Outubro, a soprano Daria Masiero, vencedora do Concurso BBC-Cardiff Singer of the World 2005, associa-se à meio-soprano Elena Belfiore, uma das mais prometedoras jovens cantoras líricas da actualidade, para proporcionar uma deslumbrante noite de música sacra no ambiente mágico da Igreja de S. Domingos (20:00). Acompanhadas pelo pianista americano e veterano do FIMM Lorne Richstone, as cantoras italianas irão encantar o público com as famosas “Avé Marias” de Schubert, Gounod, Mozart e Mascagni, assim como com outras peças sacras menos conhecidas. Afinadas pelo maestro Josef Pancik, as 18 vozes do Coro de Câmara de Praga regressam a Macau para apresentar um programa diverso de música sacra (27/10, Igreja de S. Domingos, 20:00), que se estende do séc. XVI ao séc. XX. Veteranos do FIMM, os Pequenos Cantores de Viena (25/10, CCM-GA, 20:00) regressam com novas oferendas do céu e da terra. Andy Icochea Icochea conduz o Schubertchor dos Pequenos Cantores de Viena, lançando âncora nas águas profundas da tradição austríaca. 

A ópera buffa Le Nozze di Figaro de W. A. Mozart’s, produzida pela San Francisco Opera e pelo FIMM, uma das cabeças de cartaz do Festival, encerra o evento. As Bodas de Figaro permanecem em cena três noites (6 a 8 de Novembro, CCM-GA, 19:30). O maestro Lü Jia dirige a Orquestra de Macau e um enérgico elenco que canta esta ópera em quatro actos do génio musical inimitável de Mozart. 

O FIMM aposta novamente em muitos workshops e conferências sobre os eventos, com o objectivo de estimular o interesse da população pela música. Como já vem acontecendo em edições anteriores do FIMM, será permitido o acesso do público aos ensaios de alguns dos espectáculos.

Os bilhetes para o XXIII Festival Internacional de Música de Macau encontram-se à venda a partir das 10:00 horas do dia 2 de Agosto de 2009, nos postos de venda da Rede Kong Seng. As reservas online e por telefone estarão disponíveis a partir das 14:00 horas do mesmo dia. Está disponível uma variedade de planos de descontos. O material publicitário, também disponível nos postos de venda de bilhetes, fornece mais detalhes sobre o programa.

Para mais informações sobre o XXIII FIMM é favor visitar www.icm.gov.mo/fimm.

E-mail: fimm@icm.gov.mo
Informações: (853) 2855 5555         Macau
(852) 2380 5083         Hong Kong
(86) 139 269 11111    Região do Delta do Rio das Pérolas

Reservas online: www.macauticket.net

Linha Directa de Informações: (853) 8399 6699

O XXIII Festival Internacional de Música de Macau conta com o apoio da Direcção dos Serviços de Turismo.