P & R

Questão 9


A-Guong: Dr. Escava-Tudo, encontrei o livro Para Conhecer a Arqueologia. Se o ler,  poderei enriquecer os meus conhecimentos de arqueologia?

Dr. Escava-Tudo: Para Conhecer a Arqueologia de Macau é um bom livro publicado pelo IACM (existe em duas versões, português e chinês) o qual apresenta explicações sobre arqueologia, em termos simples, e transmite conhecimentos arqueológicos. Vale a pena lê-lo! O livro A Complete Guide to Archaeology, publicado em Taiwan, aprofunda ainda mais o nosso saber acerca da arqueologia. Com estes livros, podemos adquirir conhecimentos sobre arqueologia, e vamos descobrir o interesse desta disciplina.

A-Guong: Está bem, então vou agora à biblioteca procurar este livro!

Questão 8


A-Meng: Dr. Escava-Tudo, qual é o significado das designações “fossa” e “quadrícula de escavação”?

Dr. Escava-Tudo: Durante a escavação arqueológica, e de modo a facilitar a medição e o registo , o sítio é dividido em vários quadrados, denominados “quadrículas de escavação”. Entre as “quadrículas de escavação” pode-se manter uma área não escavada, com um metro de largura por exemplo, para facilitar a  remoção da terra e para se poder manter e estudar o perfil estratigráfico. Esta área é denominada “banqueta”.

A-Meng: Muito bem, o quadrado chama-se “quadrícula de escavação”, mas então o que é uma “fossa”­?

Dr. Escava-Tudo: Uma “fossa” é uma estrutura, tal como um buraco ou cavidade, feita pelas pessoas para diversos usos, por exemplo, como depósito de detritos, e dentro da qual se encontram vários tipos de materiais arqueológicos, favoráveis à investigação da vida na antiguidade. Porém, até agora não se encontrou nenhuma “fossa” na Rua do Estaleiro em Coloane.

A-Meng: Agora entendi!

Questão 7


Senhora Hong: Hoje quando passei pelo local arqueológico, vi que algumas quadrículas de escavação estavam a ser novamente cobertas, porquê?

Dr. Escava-Tudo: Após se escavarem as quadrículas até um nível que permita o estudo da estratigrafia e o registo dos artefactos descobertos, e de se confirmar que não existem mais vestígios arqueológicos, as mesmas poderão ser cobertas com a terra que fora retirada, um processo conhecido como “reenterramento”. Por exemplo, algumas quadrículas do sítio arqueológico em Coloane foram escavadas até uma profundidade de 2.5 a 2.7 metros, e então por questões de segurança, as mesmas estão a ser cobertas nestes dias.

Senhora Hong: Wow, 2.7 metros é a altura de um andar! Portanto, é melhor voltar a enchê-la  quando terminarem as escavações, para evitar que caia alguma pessoa dentro da mesma.

Questão 6

Senhor Lam (cidadão de Coloane): Dr. Escava-Tudo, posso saber o que foi descoberto na camada de revolvimento na Rua do Estaleiro?

Dr. Escava-Tudo: Tem que ter paciência! Os trabalhos de escavação ainda estão em curso, mas vou revelar um pouco. Normalmente, sob a camada de revolvimento, encontramos mais uma camada denominada “camada arqueológica”, na qual se descobrem vestígios. Nesta etapa, em Coloane, foram encontrados “pedaços de cerâmica geométrica” e “ferramentas de pedra”.

Senhor Lam (cidadão de Coloane): Agora entendi, obrigado.

Questão 5

Bobo: Dr. Escava-Tudo, esteve a chover esta madrugada. A chuva tem alguma influência no sítio arqueológico e nos achados?

Dr. Escava-Tudo: Não se preocupe. A pluviosidade desta madrugada não fez elevar o nível da água subterrânea, portanto, não tem influência no local arqueológico e nos achados.

Mesmo que haja tempestades repentinas, o nível da água subterrânea sobe apenas um pouco. Além disso, o grupo de arqueologia já se encontra preparado para proceder à extracção das águas de acordo com a situação.

Bobo: Eu vi o Boletim Meteorológico de Macau e vai chover nos próximos dias. O grupo de arqueologia tomou algumas medidas preventivas?

Dr. Escava-Tudo: Boa pergunta! O grupo de arqueologia presta atenção ao estado do tempo. Por um lado, o grupo já construiu um dique de cimento à volta das fossas para evitar a entrada de chuva e, por outro lado, após fazer o registo global, preservará os artefactos descobertos o mais rápido possível. Os vestígios encontrados no sítio serão cobertos e bem preservados, por isso não se encontrarão expostos. O grupo de arqueologia  já tomou uma série de medidas, não se preocupe.

Questão 4


Senhor Lam (cidadão de Coloane): Ouvi dizer que foram feitos vários achados, inclusive vi uma tigela com o carácter “囍”. Tenho uma igual em casa. Ela também será  um artefacto?

Dr. Escava-Tudo: O grupo de arqueologia encontrou uma tigela com o carácter “囍”, uma lâmpada a óleo, etc., os quais, embora sendo objectos mais recentes, também permitem estudar as vivências das pessoas. Mas, para além destes vestígios, os arqueólogos também descobriram muito lixo recente, como sacos de plástico, chinelos, etc. Portanto, tal demonstrou que houve uma perturbação das camadas e que os contextos originais não se tinham preservado. Assim, estas camadas são denominadas “camadas de revolvimento”.

Senhor Lam (cidadão de Coloane): Então existirá algo sob a camada de revolvimento?

Dr. Escava-Tudo: Para saber, terá que acompanhar o site da Internet.

Questão 3


A-Man: Mais uma dúvida. Porque é que algumas covas (quadrículas)  no sítio arqueológico estão cheias de água, mas outras não?

Dr. Escava-Tudo: Este menino é muito curioso. Esta água não é da chuva mas sim subterrânea. Como a ilustração em baixo mostra, a cova mais profunda atingiu já o nível das águas subterrâneas, pelo que as mesmas afloram. Contudo, este fenómeno é considerado normal. A cova menos profunda não tem água porque ainda não foi escavada até ao nível das águas subterrâneas.

Já observou que nem todas as covas têm água, isto é, caso tivesse chovido, deveria encontra-se água em todo o lado, não é?

Questão 2


Sra. Kuan: Vi que as covas estavam cheias de água nas fotos sobre o sítio arqueológico publicadas na edição de 14 de Junho do jornal diário Ou Mun Iat Pou. Então porque é que as covas estavam cheias de água?

Dr. Escava-Tudo: Estas covas são designadas por “sondagens”. Algumas destas sondagens no sítio arqueológico em Coloane já atingiram o nível das águas subterrâneas, pelo que as mesmas afloram. Contudo, este fenómeno é considerado normal. Estas sondagens foram já escavadas até à oitava camada e não foram encontrados vestígios arqueológicos. Por isso, não se preocupe!

Sra. Kuan: Porque é que os arqueólogos não extraem a água?

Na fase anterior da investigação arqueológica, os arqueólogos previram que emergiriam águas subterrâneas em escavações a esta profundidade. Daí ter-se procedido à extracção de água mas, no entanto, as águas subterrâneas emergem de novo após a extracção, sendo um fenómeno natural. Os arqueólogos levarão a cabo uma avaliação e as águas subterrâneas serão extraídas quando necessário.

Sra. Kuan: Onde estão os achados arqueológicos?

Dr. Escava-Tudo: Boa pergunta! Relativamente aos achados descobertos, irá realizar-se uma avaliação global e tirar medidas detalhadas de todos os achados, seguido de estudos de laboratório, que constituem passos arqueológicos apropriados. Após a remoção dos achados, os arqueólogos irão avançar com os trabalhos arqueológicos.

Sra. Kuan: Em caso de chuva, o que vão fazer?

Dr. Escava-Tudo: Nos objectos descobertos predominam os artefactos líticos e cerâmicos, e quando estes ficam no sítio arqueológico, são devidamente protegidos contra a chuva (no caso da cerâmica), e no caso dos artefactos líticos, a chuva não tem grande influência nestes.

Sra. Kuan: No Domingo passado fui ao sítio arqueológico, mas ninguém esteve lá. Será que acabaram as escavações?

Dr. Escava-Tudo: Os trabalhos arqueológicos ainda estão em curso. De 2.ª feira a Sábado, há arqueólogos que procedem com as escavações.

Questão 1


Sr. Chan: Fazem trabalhos arqueológicos ao ar livre. Não se preocupam com a possível destruição dos trabalhos por outros?

Não nos preocupamos. Tomo como exemplo o Projecto Arqueológico da “Rua do Estaleiro” em Coloane. Para protecção do sítio arqueológico na Rua do Estaleiro, colocaram-se barreiras metálicas no local e dois guardas de segurança prestam serviço no local 24 horas desde o passado dia 7 de Maio. O Instituto Cultural solicitou ainda ao Corpo de Polícia de Segurança Pública de Macau para proceder à intensificação das patrulhas.