O que é arqueologia?

A palavra “arqueologia” surgiu há muito no vocabulário chinês. Lu Dailin, no 7.º ano do reinado do Imperador  Yuanyau da dinastia Song do Norte (AD 1092), fez um “mapa arqueológico”; porém, a arqueologia naquela altura destinava-se a procurar e classificar artefactos antigos e tinha um significado diferente do actual (張光直 1993:53-54).

Na Europa, relatos do interesse pelo passado dão conta de exemplos de escavações que tiveram lugar, tais como a abertura de túmulos durante o período da Grécia Clássica (por volta dos séculos V e IV a.C.), embora este interesse, tal como aconteceu no contexto da China, estava relacionado com intenções diferentes das que hoje regem a prática arqueológica (Julian Thomas 2004: 4). De qualquer forma, o termo “arqueologia” deriva do grego Αρχαιολογία, palavra composta por άρχαΐοs (antiguidade e coisas antigas) e por λóγοs (ciência, conhecimento), e refere-se ao estudo da história antiga através de vestígios materiais (夏鼐、王仲殊1994: 1; Julian Thomas 2004: 1).

No contexto Americano, arqueologia é vista como sendo uma antropologia cultural do passado, isto é, a análise de culturas e sociedades humanas antigas através do estudo de vestígios materiais do passado. Como tal, é considerada uma disciplina humanista, mas também uma ciência, uma vez que se baseia na recolha e análise de dados, na formulação e teste de hipóteses, bem como em métodos técnicos de datação e de testagem (Collin Renfrew and Paul Bahn, 2012: 12, 13).

張光直,《考古學專題六講》,第二版,台北:稻香出版社,1993年,第53-54頁

夏鼐、王仲殊,〈考古學〉,《中國大百科全書‧考古學》,1994年第四版,第1頁

THOMAS, Julian, “Archaeology and Modernity”. Routledge. E-book. ISBN 0-203-49111-4. 2004. Pp. 1, 4

RENFREW, Colin; BAHN, Paul, “Archaeology, Theories, Methods and Practice”. London: Thames & Hudson Ltd. E-book. 2012. ISBN 978-0-500-77112-9. Pp. 12, 13.


Uma Estação Total é usada para tirar medidas no sítio arqueológico


Descoberta de um artefacto